United World Project

Watch

Obrigado, presidente Sassoli!

 
11 janeiro 2022   |   Europa, , Parlamento Europeu
 
[Lic. Creative Commons] 2019-07-03_David-Maria_Sassoli_President_European_Parliament

David Sassoli, presidente italiano do Parlamento Europeu, faleceu esta noite aos 65 anos de uma grave disfunção do sistema imunológico. Em 2021, participou do Fórum Internacional “DareToCare”, evento central da Semana Mundo Unido. Ele havia concordado em dialogar com um grupo de jovens envolvidos na campanha “Dare to Care” (“Ousar Cuidar”). Eram estudantes de relações internacionais, políticos, comunicadores, pacificadores da Itália, República Tcheca, Polônia, Bélgica, Colômbia, Hungria, Ruanda. As perguntas deles abordaram questões como: democracia, adesão da Europa ao Tratado de Proibição de Armas Nucleares, acolhimento e corredores humanitários, a crise climática.

Como seu legado, relatamos algumas palavras dele extraídas desse diálogo. Percebe-se nas entrelinhas sua formação familiar e juvenil, influenciada pela escola de Giorgio La Pira, especialmente por padre Lorenzo Milani, e por seu lema “I care”: isso me diz respeito, assumo a responsabilidade.

«Esta imagem de “cuidar” é muito bonita, porque a política tem esse horizonte, não pode ter outros, é o horizonte da política. Cuidar das pessoas, da própria comunidade, das próprias cidades. Creio que essa é realmente uma expressão que representa esse desejo de apostar no futuro.

Precisamos de políticos preparados, que certamente expressem uma visão, que sejam reconhecidos como elemento de esperança, mas que também tenham a capacidade de intervir nos mecanismos para corrigi-los. Acredito que este é um trabalho de pedagogia civil que de alguma forma nos deve atingir, que diz respeito a nós políticos, a nós instituições, mas também naturalmente a toda a esfera tão importante das associações europeias. Penso que vocês em particular estão em uma posição privilegiada, porque já definiram não só que é importante cuidar dos outros, mas também cuidar para melhorar as condições de vida dos outros. Acredito que esse sentimento, que também faz parte da bagagem cultural de vocês, é realmente muito precioso neste momento. […]

O diálogo com os jovens é fundamental porque se quisermos verificar se temos uma visão de futuro da União Europeia temos que apostar e dar a eles a palavra. Portanto, recolham esta palavra! Do meu ponto de vista, considero isso um convite para descobrir naturalmente uma vocação em cada um de vocês. A vocação para a política é igual às outras, logicamente não é melhor nem pior, mas é útil, e sabemos como é útil fazer com que a política responda realmente às necessidades das pessoas, às suas exigências. Uma visão cristã, neste momento, é ainda mais importante, porque sabemos que os mecanismos da economia e das finanças podem deixar muitas pessoas para trás. E nós não queremos isso. Não podemos nos dar ao luxo de sair de uma crise sempre com desigualdades tão fortes. Não devemos permitir isso e, para não permitir isso, é claro que também precisamos de uma formação cultural, de um espírito que anime a ação política.

Acredito que este seja um daqueles momentos em que algo verdadeiramente extraordinário está sendo pedido a nós, à minha geração e à de vocês. É um pouco o que a história pediu aos nossos pais e avós, quando lutaram pela democracia, quando sofreram as consequências das guerras ou em regimes nos quais não havia liberdade; é o que foi pedido a muitos cidadãos, que estivessem à altura de uma dignidade da pessoa, a qual era continuamente questionada. Isso! Acredito que todos juntos devemos nos sentir maiores, mais velhos, mais jovens, a particularidade deste momento».

O diálogo completo pode ser visto aqui:


SHARE: