United World Project

Workshop

HeARTmony na Bósnia com Gen Rosso

 
16 agosto 2022   |   Bósnia, Gen Rosso, New Humanity NGO
 

De 25 de julho a 1º de agosto, o grupo musical Gen Rosso retornou à Bósnia com os aprendizes do projeto HeARTmony, que nasceu para  formar alguns jovens nas metodologias de inclusão social para migrantes e refugiados por meio da arte, para fortalecer as habilidades interculturais e refletir sobre as causas e efeitos da migração na bacia do Mediterrâneo.

«A abordagem é “não só de pão” – explica Valério Gentile, da banda internacional Gen Rosso –. A finalidade desse projeto é valorizar os talentos, promover o bem-estar e a inclusão social dessas pessoas que são definidas como “people on the move”, pessoas em movimento.»

O projeto a que Valério se refere chama-se “HeARTmony”, uma palavra composta de heart, coração, art, arte e harmony, harmonia. Que também – pensando bem – são os principais ingredientes do projeto! Financiado pela Comissão Europeia mediante o lema “Capacity building in the field of youth” [Capacitação no setor da juventude], foi criado para fortalecer as competências interculturais dos jovens participantes, a fim de ajudá-los a desenvolver metodologias de inclusão social para migrantes e refugiados de todas as idades por meio da arte e aprofundar as causas e os efeitos da migração na bacia do Mediterrâneo.

Os principais parceiros do projeto, além da banda internacional Gen Rosso, são a associação internacional New Humanity e a associação cultural Dancelab Armonia. Além dessas, há outras cinco realidades europeias e do Oriente Médio: a Fundación Igino Giordani (Espanha), Humanité Nouvelle (Líbano), Caritas Lebanon (Líbano), Caritas Egypt (Egito), Caritas Banja Luka (Bósnia e Herzegovina) em colaboração com a J.R.S de Bihać.

Graças a esse projeto, de 25 de julho a 1º de agosto, catorze jovens aprendizes, provenientes da Espanha, Egito, Síria, Bósnia e Itália, puderam partir para a primeira formação prevista na Bósnia e Herzegovina. O critério de acesso é: experiência prévia na área de artes cênicas.

O primeiro destino foi o Centro João Paulo II, em Sarajevo. Aqui, uma equipe do Gen Rosso trabalhou em colaboração com o “Social Corner” [Canto Social], iniciativa desejada pelo Papa Francisco, no qual voluntários locais animam os dias dos hóspedes nos vários campos de refugiados. «Realizamos o curso com uma primeira parte teórica – conta Gentile –, aprofundando principalmente o aspecto relacional: como nos relacionarmos, como criarmos uma equipe de trabalho, como fortalecermos a autoestima dos migrantes, como fazer emergir os talentos deles, como ajudá-los a passar de espectadores passivos a protagonistas». A segunda parte do curso, mais prática, ocorreu no campo de Ušivak, nos arredores de Sarajevo, que abriga famílias, menores desacompanhados e jovens, provenientes da Argélia, Afeganistão, Irã, Burundi, também Cuba.  «Isso mesmo. Porque – esclarece Valério – a rota migratória para os cubanos é: Havana-Moscou, Moscou-Belgrado, para depois chegar a pé a Sarajevo e de lá prosseguir para Bihać, onde tentam cruzar a fronteira com a Europa.»

Com eles, Gen Rosso realizou  oficinas de dança, canto coral, percussão e comunicação. Experiência que culminou nas apresentações do terceiro dia. A primeira, no acampamento, onde alguns migrantes puderam se apresentar diante de seus vizinhos, alternando-se no palco com o Gen Rosso.  A segunda, no ginásio de esportes do Centro João Paulo II, em Sarajevo, com a inclusão, durante o espetáculo, de 24 refugiados das oficinas de dança, canto e percussões. «No final, um deles nos disse: “Vocês me deram a esperança de seguir em frente no caminho!”», Valério lembra com um certa emoção.

Em seguida, o Gen Rosso e os aprendizes foram para Bihać, na fronteira entre a Bósnia e Herzegovina e a Croácia. «Em colaboração com o Jesuit Refugee Service [Refúgio e Serviço Jesuíta], nós trabalhamos tendo em vista o show de domingo, com alguns refugiados também de campos informais…  tendas, casas abandonadas.  Eram poucos, para dizer a verdade, porque como os dias estavam muito bonitos, a maioria tentava atravessar a montanha e a fronteira – explica Valério –, e também com isso aprendemos muito.»

Finalmente, no domingo, 31 de julho, o Gen Rosso e os refugiados se apresentaram no espetáculo “Una”, organizado em colaboração com o município de Bihać, que nasceu do desejo de apoiar e incentivar a cidade e a população local para que continuem a perseverar no acolhimento de refugiados. “Una”, como o rio que flui ao longo da fronteira entre a Croácia e a Bósnia, e simbolicamente une os dois países.

Próxima etapa de “HeARTmony?

Os participantes serão convidados a realizar, até outubro de 2023, pelo menos 2 oficinas para demonstrar que adquiriram as habilidades técnicas, sociais e interculturais indicadas no projeto.

Enquanto isso, o projeto continua com outra conotação. De 30 de agosto a 4 de setembro, em Beirute, no Líbano, será realizado um curso de formação para o diálogo inter-religioso e intercultural, promovido pela associação Humanité Nouvelle Líbano.

Para mais informações e todas as atualizações, basta acessar o site da ONG New Humanity.


SHARE: