United World Project

Workshop

Ação pela Índia rural: o novo projeto da campanha Vacina para todos

 
 

Iniciada há cerca de nove meses, continua a arrecadação de fundos que permite promover a compra de vacinas contra a doença de Covid-19 nos países mais pobres. Após os primeiros socorros na Amazônia brasileira, a próxima etapa é dar suporte a algumas aldeias na Índia rural.

Não é só uma arrecadação de fundos. A campanha “Uma Vacina para Todos” já se transformou em ajuda concreta e está prestes a começar um novo projeto: na Índia. Para quem ainda não a conhece (mais informações neste nosso artigo), trata-se de um programa de arrecadação de dinheiro a ser usado para promover, seja concretamente que através de atividades de conscientização, o direito universal ao tratamento e ao internacionalismo das vacinas.  Até o momento, entre seus promotores há mais de 40 organizações que aderiram ao manifesto. Em fevereiro de 2022 já alcançou mais de € 50.000,00 em doações. Com essa soma, foi realizado o primeiro projeto em 2021 e foi planejado o novo projeto, que está em   desenvolvimento.

Melissa Mejía Flórez, chefe de comunicação da campanha, explica: «Os objetivos que sempre quisemos alcançar estão em dois níveis: o primeiro, político-institucional, visa a conscientizar as organizações internacionais sobre a necessidade de vencer um mal comum global, o do vírus da Covid-19, através de um bem comum, a vacina. O segundo nível é o que diz respeito a projetos de ação concreta, como o que foi realizado na Amazônia brasileira».

Amazônia e Índia

“Vacina para Todos” tem contribuído no apoio ao hospital fluvial Barco Hospital Papa Francisco, que atende mais de mil comunidades ao longo do rio Amazonas. Em particular, foram distribuídos kits Covid para higiene e prevenção do vírus, materiais de proteção e para assistência ao tratamento durante e após a doença, bem como auxílio alimentar básico.

«O segundo projeto – explica Melissa – nasceu da proposta de um de nossos promotores: a organização humanitária Shanti Ashram (Índia) em colaboração com a AMU (Ações por um Mundo Unido)».

Por meio do Centro Internacional de Saúde Infantil e Pública (ICPH), de Coimbatore, na zona rural da Índia, o programa prevê, por um lado, apoiar os cidadãos nos procedimentos de obtenção da vacinação (muitos deles não têm um computador disponível ou não sabem como acessar o portal que lhes permite fazer a reserva); por outro lado, trabalha pela realização de atividades de prevenção e conscientização em aproximadamente 40 aldeias.  As pessoas que receberão a vacinação são 2.500, escolhidas entre as particularmente em risco, que serão visitadas através de clínicas móveis. Duas mil dessas doses serão fornecidas pelo governo local, justamente porque um dos pontos fundamentais do projeto é a disposição de colaborar com as autoridades locais de saúde pública; as outras 500 serão inteiramente bancadas pelo projeto.

Vacina é um bem comum

Por ocasião do “Fórum dos Prefeitos do Mediterrâneo”, convocado pelo prefeito de Florença, Dario Nardella (23 a 27 de fevereiro), está previsto propor a todos os participantes que assinem um apelo para a suspensão das patentes de vacinas já difundidas e o maior uso da vacina de código aberto Corbevax, uma vacina para a qual nenhuma patente foi registrada. Através desta ação, espera-se alcançar não apenas os prefeitos do Mediterrâneo, mas também as grandes potências mundiais. Só assim será possível cumprir a meta estabelecida pela OMS: atingir 70% da população mundial vacinada até meados de 2022. Um objetivo, infelizmente, ainda muito distante.

Os protagonistas são os jovens

Desde a sua criação, a campanha tem contado com a participação dos jovens, comprometidos por primeiro a levar adiante tal proposta e fazer com que se torne realidade. Um exemplo é o Movimento Jovens por um Mundo Unido, que inseriu o projeto entre os que serão apoiados dentro da campanha #daretocare (ousar cuidar).

«Para colaborar com “Vacina para Todos” – explica Melissa – não há apenas as doações. Muitas vezes nossos recursos são as pessoas e suas competências, que podem ser colocadas a serviço de grandes projetos. Acredito que resultados enormes podem ser alcançados também para a nossa campanha por meio do envolvimento de pessoas (inclusive jovens!) que querem arregaçar as mangas e colocar à disposição ideias e capacidades».

Vamos mantê-los informados sobre os próximos desenvolvimentos desse projeto na Índia.  Fiquem ligados!

Para saber mais, acessem: https://www.avaccineforall.org


SHARE: